domingo, 26 de agosto de 2012

RITOS 2

TEMA: Rituais de Passagem, Celebrativos e Liturgicos.
AUTOR: Nilse Gorges Castanha

SERIE: 5o ano – 10 anos
OBJETIVO:
Identificar momentos que sao organizados pela sociedade, relacionando com
momentos significativos da vida do aluno procurando confrontar com festas que
marcam momentos novos na vida da pessoa.
FUNDAMENTACAO PEDAGOGICA:
A crianca de 9 e 10 anos busca uma forma superior de equilibrio, uma
adaptacao mais eficiente ao seu ambiente, desenvolvendo todas as dimensoes
de sua vida de forma integrada e continua.
Nessa fase, ela se torna capaz de concentracao individual, quando
trabalha sozinha, e de colaboracao efetiva, quando participa de atividades em
grupo.
A mudanca de linguagem mostra que a crianca vai ser capaz de
compreender o ponto de vista dos outros, de escutar, de discutir e conversar,
comunicando-se com o grupo. Tende a desaparecer a linguagem egocentrica,
distinguindo seus pontos de vista dos alheios, procura justificar e defender suas
posicoes, suas ideias. A crianca torna-se capaz de refletir sobre suas acoes.
No campo de desenvolvimento intelectual, a crianca torna-se capaz de
realizar operacoes racionais concretas e, quanto a afetividade aparecem novos
sentimentos morais e e o inicio da organizacao da vontade.
O Ensino Fundamental deve aproveitar essa fase e formar o aluno para a
cidadania e para isso precisa desenvolver nele a capacidade de ler e escrever a
sociedade onde vive.
O aluno tambem deve ser levado a compreender o ambiente natural e
social em que vive, bem como o sistema politico, a tecnologia, as artes e os
valores em que a sociedade se fundamenta. Portanto, a aprendizagem deve visar
a aquisicao de conhecimentos e habilidades e a formacao de atitudes e valores
de maneira significativa para que a crianca possa fortalecer seus vinculos de
familia, os lacos de solidariedade humana e de tolerancia reciproca em que se
assenta a vida social.
O estudo do tema “Rituais de Passagem, Celebrativos e Liturgicos” e
importante porque rituais estao presentes em praticamente todas as sociedades
humanas tendo um significado simbolico, um sentido especial em cada cultura.
Sao praticamente universais e que todos passamos por eles, desde que
nascemos ate quando morremos. Compreender isso e fundamental para a
crianca entender a cultura da sociedade na qual esta inserida e exercer o seu
papel de cidadao participando ativamente da sociedade onde vive, respeitando e
valorizando a cultura de outras sociedades.
Compreender que as mudancas que ocorrem na vida e na sociedade nao
acontecem individualmente, mas de forma coletiva e que essas mudancas
acabam provocando mudancas no espaco onde as pessoas vivem.
Identificar Rituais atraves da Historia e Geografia hoje e compreender que
o respeito a cultura e uma conquista importante do ser humano.
1a Aula:
·
Iniciar a aula cantando a musica “Como vai, companheiro?” trocando
cumprimentos de abracos com os colegas.
·
Refletindo com os alunos que esta dinamica e um ritual de cumprimento.
·
Pesquisando no dicionario o significado da palavra ritual.
·
Fazendo a leitura individual e coletiva do texto “Rito e Ritual” - Borres
Guilouski.
·
Conversando sobre o texto lido.
·
Dividindo a turma em grupos de 3 ou 4 alunos para que listem alguns rituais
conhecidos ou que participem, sejam sociais ou religiosos.
·
Relatando os rituais listados pelo grupo para os outros grupos da classe.
·
Confeccionando cartazes sobre os rituais sociais ou religiosos, ilustrando com
gravuras de revistas ou jornais.
·
Organizando uma exposicao dos cartazes.
Musica → Como vai, companheiro?
“Como vai, companheiro, como vai?
A nossa amizade nos atrai,
faremos o possivel
para sermos bons amigos,
Como vai, companheiro, como vai?”
Texto → Rito e Ritual (Borres Guilouski)
Ritos sao gestos simbolicos repetitivos. Os seres humanos servem-se dos
ritos para expressar seus desejos, sentimentos e crencas.
Os ritos podem ser sociais (as diversas formas de saudacao, como aperto
de maos, abracos...), civicos (o hasteamento da bandeira, a postura ao cantar o
hino nacional, a continencia, uma forma de saudacao entre militares...), religiosos
(fazer o sinal da cruz, ficar de joelhos para orar, assumir uma postura de
reverencia durante um momento de prece...). O rito ou gesto simbolico vai alem
das palavras, ele expressa o que em palavras a pessoa nao conseguiria traduzir.
Ritual e um conjunto de ritos. A missa catolica, o culto evangelico, a
viagem do romeiro ou peregrino a um santuario para pagar uma promessa, sao
alguns exemplos e rituais religiosos.
A vida humana e vivida por meio de rituais. Cada pessoa realiza o seu
ritual diario, desde quando acorda e prepara-se para ir ao trabalho ou a escola,
ate quando se recolhe para descansar depois de um dia corrido. Sempre que
voce vivencia, aprende e pratica alguma coisa nova, voce esta vivendo de forma
ritualistica.
O ser humano ritualiza em diferentes situacoes, em momentos de alegria
e de profunda dor. Os rituais ajudam os seres humanos a melhor lidar com seus
sentimentos, com a passagem de uma fase de vida para outra.
Sao rituais de passagem: o batismo, a primeira comunhao, o casamento,
o bar mitzvah dos judeus e os diversos rituais de puberdade existentes em varias
culturas e tradicoes religiosas.
Existem em quase todas as religioes os rituais liturgicos, sao cerimonias
que fazem parte do culto e envolvem preces, cantos, dancas, oferendas, leitura
de textos sagrados, partilha de algum alimento sagrado, etc.
Alem dos rituais de passagem e liturgicos, existem tambem os rituais
festivos, rituais de purificacao, entre outros.
2a Aula:
·
Iniciar a aula apresentando imagens dos indios Bororo.
·
Conversando com a classe sobre os indios Bororo – onde viviam, como viviam
e como e onde estao vivendo hoje.
·
Localizando no mapa mundi e no mapa do Brasil as regioes onde os indios
Bororo viveram e vivem atualmente.
·
Dividindo a turma em grupos de tres alunos.
·
Apresentando o texto “O casamento entre os Bororo” - Melatti, J. C., em folha,
uma para cada grupo.
·
Fazendo a leitura do texto.
·
Conversando com os colegas do grupo sobre o texto que foi lido, respondendo
as questoes a seguir e anotando as conclusoes no caderno na forma de texto:
→ Como e o ritual do casamento em sua sociedade? E semelhante aos
dos indios Bororo?
→ Quais sao as principais diferencas entre os rituais de casamento em
sua sociedade e dos indios Bororo?
→ O que mais o surpreende no ritual de casamento dos grupos
indigenas?
→ Se um indio visse o ritual de casamento em nossa sociedade tambem
se surpreenderia? Por que? Troque ideias com seus colegas.
·
Lendo o texto produzido pelo grupo para os colegas da classe.
Texto → O casamento entre os Bororo (Melatti, J. C. Indios do Brasil)
Entre os indios Bororo e quase sempre a moca que toma a iniciativa de
declarar ao jovem escolhido o seu desejo de se casar com ele. Para isso preparalhe
uma refeicao e, acompanhada da mae, leva-a a cabana onde mora o rapaz,
por volta do meio-dia. A mae da moca e quem entrega o alimento, dizendo: “Meu
genro, vim com minha filha que deseja viver contigo, porque te quer bem”. Em
geral o rapaz nao responde imediatamente. Continua a fazer o trabalho, como se
nada tivesse acontecido. Apos a moca e sua mae se retirarem, o jovem toma
uma decisao: se quer casar com ela, saboreia o alimento oferecido; se nao quer
casar, nao o come. Encarrega entao sua mae de devolver o recipiente cheio ou
vazio a mae da moca, juntamente com a resposta. Outras vezes e a moca
sozinha quem leva o alimento ao rapaz de sua escolha, convidando-o para morar
com ela. Desejando mesmo casar, o rapaz, depois de alguns dias, vai cacar,
entregando o animal que tenha matado a sua mae, que o prepara, oferecendo-o
a moca; com esse oferecimento a jovem sabe que foi aceita como esposa. No
mesmo dia, a mae do rapaz pinta e enfeita o corpo da moca, cingindo-lhe os
pulsos com tiras de algodao, que e sinal da mulher casada. A moca volta a casa
da mae e acende uma nova fogueira em torno da qual vivera a nova familia.
Ha sociedades indigenas, porem, que nao marcam o casamento com
nenhum rito ou reduzem este ao minimo. Entre os Tenetehara, por exemplo, uma
vez arranjado o casamento, escolha em que o chefe da familia da moca tem
parte muito ativa, pois quer um genro trabalhador, o noivo muda-se para a casa
da noiva com seu pertences, passando a dormir com ela desde logo, ou
esperando que se desenvolva, se ainda e menina.
3a Aula:
·
Organizando a turma em dois grupos;
·
Cada grupo fara uma pesquisa na biblioteca da escola sobre os rituais de
passagem realizados por uma das tribos indigenas do Parana: Kaingang ou
Guarani.
·
Cada grupo deve preparar uma apresentacao demonstrando como acontece
esse ritual e o espaco utilizado para o mesmo, verificando se e realizado algum
ritual semelhante na sociedade em que o aluno vive.
Na apresentacao, cada grupo tambem deve localizar no mapa do Parana
os locais onde o grupo indigena pesquisado vive atualmente e como vive.
4a Aula:
·
Apresentando o trabalho sobre o grupo indigena pesquisado.
·
Apos as apresentacoes, os alunos devem comparar oralmente os rituais de
passagem de uma tribo em relacao aos rituais e passagem da outra tribo
confrontando com rituais de passagem que sao realizados na sociedade em
que os alunos vivem.
·
Concluindo que cada sociedade possui rituais diferentes para marcarem a
passagem de um determinado momento da vida para outro, que esses rituais
sao importantes e que devem ser respeitados e valorizados.
·
Criando frases que expressam atitudes de valorizacao e respeito aos
diferentes rituais realizados pelas diversas culturas.
·
Expondo dentro da escola as frases criadas pelos alunos.
RECURSOS DIDATICOS:
·
Transparencia com musica “Como vai, companheiro?”
·
Texto “Rito e Ritual” - Borres Guilouski
·
Dicionarios
·
Papel Bobina
·
Revistas para recorte
·
Texto “O casamento entre os Bororo” - MELATTI, J. C.
·
Figuras dos Indios Bororo
·
Mapa Mundi
·
Mapa do Brasil
·
Mapa do Parana
REFERENCIAS:
→ MORENO, Jean Carlos. Historia –4a Serie. Sao Paulo: IBEP, 2001 (Colecao
Vitoria Regia)
→ Escola Municipal Castro Alves. Educacao Religiosa. Sao Jose dos Pinhais,
2002.
→ Lei de Diretrizes e Bases da Educacao Nacional.
Conteudo:
Rituais de Passagem, Celebrativos e Liturgicos.
Rito e repetir alguma coisa para marcar momentos especiais. E mais ou
menos sempre igual, serve para fazer sentir que o momento que se esta vivendo
e diferente do comum. Indica quem pertence ao grupo e reforca a uniao, alimenta
a vontade de ser parte de tudo o que o grupo representa.
Avaliacao:
A avaliacao sera feita atraves da participacao nas atividades propostas e
nas reflexoes, leitura e compreensao de textos, na identificacao de rituais
existentes na sociedade em que vive, confeccao de cartazes, na apresentacao de
texto e frases coerentes com o tema proposto, na apresentacao de rituais
indigenas, na compreensao das semelhancas e diferencas existentes entre os
rituais realizados em diferentes culturas, na identificacao dos espacos fisicos
onde os rituais estudados acontecem e na demonstracao de respeito as
diferentes culturas.

SolBatt agradece sua visita!