domingo, 1 de julho de 2012

SUGESTÕES DE LIVROS DE ENSINO RELIGIOSO


LIVROS DE AUTORES BRASILEIROS

» Livros publicados pelos próprios autores, ou seja, que não estão vinculados a nenhuma editora.


PEDÓ, Albina. Trajetória de uma luta em prol da educação com amor pela paz. Cuiabá: Gráfica, 2002 (ISBN -), 199 pp.
O trabalho realizado pela Professora Albina Pedó trata-se de uma organização da história do Ensino Religioso no Mato Grosso e a interface com o processo nacional, além de ser sua autobiografia mesclada com elementos para o trabalho docente do Ensino Religioso e catequese, com músicas e mensagens (Texto organizado).



KINJÔ, Marina Escobar. Ensino Religioso. Uma proposta interdisciplinar. São Paulo, SP: FJCM ltda, 1999 (ISBN -), 135 pp. (maruca@uol.com.br)
Obs.
O livro possui em separata SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS para o Ensino Religioso.
Faz sentido falar de Ensino Religioso quando se pensa em educação? Dentro da nossa fragmentação aparece como algo a mais, mas não necessariamente como algo essencial. Dentro do nosso pragmatismo, é parte do “inútil”. O Ensino Religioso, contudo, é aquele momento, aquela oportunidade, aquela disciplina, aquela aula que fomenta o diálogo do homem consigo mesmo, ele-com-ele, onde ele se torna um tu... diálogo com os outros, ele-com-outro... o diálogo com o cosmos, ele-com-mundo, o diálogo com um Outro (que nem sempre aparece ou se cultiva). É com esta visão, de homem dialogal, que convidamos a acompanhar estas páginas de proposta de programação de Ensino Religioso. Com toda a humildade e respeito pelo mistério da vida, esperamos que uma primeira aproximação do ser “o existente”, delimitando o campo do Ensino Religioso (que não é uma ciência ou disciplina autônoma), dando elementos de operacionalização, no nosso caso numa escola concreta (mas que permite a transferência), com um objetivo que está justificado, sistematizando os conteúdos, não como camisa de força ou imposição, mas como roteiro que permita respeitar a faixa etária, respeitar os credos, evitar as repetições nas diferentes séries e superar o vazio desta disciplina, onde aparentemente não se aprende nada, mas se conhece de tudo. Esperamos, como isto, partilhar de maneira despretensiosa, e ao mesmo tempo escutar todos as propostas, as sugestões, as críticas, os complementos etc., que todos os usuários possam-nos dar. Pois quando já existe alguma coisa, por limitada que seja, fica mais fácil colaborar na sua melhora ou numa nova proposta que supere a presente (Texto contra-capa).



» Livros publicados pelos próprios autores, ou seja, que não estão vinculados a nenhuma editora.

- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - X - Y - Z -


- A -

Editora Ave Maria


FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DO ENSINO RELIGIOSO. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Religioso. São Paulo, SP: Ave Maria, 1997 (ISBN -), 63 p.
Pela primeira vez, pessoas de varias tradições religiosas, enquanto educadores, conseguiram juntas encontrar o que há de comum numa proposta educacional, que tem como objeto o Transcendente. Por Tradições religiosas aqui compreende a sistematização do fenômeno religioso a partir das suas raízes orientais, ocidentais e africanas, que exige para seu ministério (ou mister) um profissional de educação sensível à pluralidade, consciente da complexidade sócio-cultural da questão religiosa e que garanta a liberdade do educando sem proselitismo. Esta proposta original responde à necessidade de fundamentar a elaboração dos diversos currículos do Ensino Religioso na pluralidade cultural do Brasil. Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso compreendem a limitação do espaço da Escola, reconhecendo como lugar privilegiado para experiência de fé e opção religiosa, a família e a comunidade religiosa (Texto da Apresentação do Documento).



- B -

Editora Barreto


BETIATO, Mario Antonio – SNACHES, Mário Antonio. Navegando nos caminhos da fé: educação religiosa e suas novas exigências. Curitiba: Barreto Editora, 1998 (ISBN -), 200 pp.
É uma obra na qual os autores se propõem a oferecer uma contribuição que sirva não apenas de ponto de apoio para professores de ensino religioso nas escolas, mas também para suscitar reflexão séria e profunda em todos aqueles que, de um modo ou de outro, estão envolvidos com a disciplina de Cultura Religiosa nos mais variados graus do processo educativo (Texto da Apresentação).



Editora Bagozzi



JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo (Org.). Ensino Religioso: uma produção a partir de olhares múltiplos. Curitiba: Bagozzi, 2006 (ISBN - 85.993.10-02X),  371 pp.

Associação de Educação Católica do Paraná (AECPR) historicamente preocupou-se com a formação de professores para o Ensino Religioso nas escolas especialmente no espaço confessional. Tal interesse concretizou-se por meio da organização de reuniões, Jornadas e especialmente de cursos que sistematizam o conhecimento deste componente curricular. Esta obra é o resultado de cerca de cinco anos da relação entre o ensino e a pesquisa, duas turmas em cursos de especialização tiveram a oportunidade por meio dos módulos sobre aspectos diferenciados do Ensino Religioso aprofundar a temática. O resultado foram textos que expressam as releituras de um componente curricular das escolas. A presente obra, portanto é uma produção acadêmica realizada a partir do ensino, mais uma vez o tripé ensino – pesquisa – extensão demonstra a vitalidade do conhecimento em que o ensino superior e a educação básica quando possuem a oportunidade de dialogar produzam respostas e novos questionamento que poderão chegar diretamente no cotidiano da sala de aula.


- C -

Editora Champagnat (editora@rla13.pucpr.br)


Coleção Educação e Religião

JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. Um ideal, um caminho, uma proposta. Processo histórico de mudança de uma CATEQUESE ESCOLAR para EDUCAÇÃO RELIGIOSA ESCOLAR na Província Marista do Rio de Janeiro 1958 a 1995. Curitiba: Champagnat, 2001 (ISBN 85-7292-062-5) - [Coleção Educação e Religião/ 01], 186 pp.
Ao longo da história da educação brasileira encontramos um significativo capítulo escrito pelos Institutos Religiosos e entre os aspectos a serem ainda pesquisados está com certeza o processo de elaboração do Ensino Religioso. O desafio de desenvolver uma rigorosa pesquisa neste campo encontra-se pelo fato de que cada Congregação organizou o seu processo segundo o carisma e a tradição herdadas por seus fundadores e fundadoras. O presente trabalho é na realidade um estudo de caso, resultado de uma longa pesquisa realizada nos anos noventa, que ora socializamos dentro do programa de Pós-Graduação em Educação na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, na linha de pesquisa Filosofia e História da educação brasileira, em que está inserido o Grupo de Pesquisa: EDUCAçÃO E RELIGIÃO. A busca de mecanismo que contribuíssem para o favorecimento da área religiosa nos Colégios Maristas foi sempre um espaço privilegiado de contatos e até mesmo de pesquisas que auxiliassem nesta tarefa. Este trabalho explicita de forma histórica a presença Marista no campo da educação religiosa junto a tantas crianças e adolescentes na Província Marista do Rio de janeiro (1958 a 1995) no espaço da educação formal – Colégios Maristas. Não foi objeto desta pesquisa a ação realizada em missões, casas de inserção e mesmo na formação, a não ser naquilo que de alguma forma interferiu no processo dos colégios. Diante desse quadro proponho de forma descritiva apresentar os modelos organizados para a área pastoral da Província Marista do Rio de Janeiro, tendo como condutor a disciplina hoje denominada de Educação Religiosa Escolar, mas que inicialmente era conhecida como Aula de Religião. A fim de compreender os modelos propostos, serão apresentados alguns elementos que contextualizam e contribuem para caracterizar cada uma das etapas que se sucederam progressivamente (Texto da contra-capa).



ALVES, Luís Alberto Sousa; JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo (org.). Educação Religiosa. Construção da identidade do Ensino Religioso e da Pastoral Escolar. Curitiba: Champagnat, 2002 (ISBN 85-7292-076-5) - [Coleção Educação e Religião/ 02], 242 pp.
A partir da promulgação da alteração do artigo 33 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN) 9394/97, mediante a Lei n. 9475/97, o Ensino Religioso tem se constituído em foco de grande interesse, discussão e pesquisa em âmbito nacional, envolvendo lideranças de diferentes denominações religiosas, a comunidade acadêmica e os sistemas de ensino, todos diretamente atingidos pelo dispositivo legal. Neste contexto um novo design se enuncia e desafia os/ as envolvidos/ as com este projeto. O “risco” para o Ensino Religioso na atualidade brasileira passa a exigir traços que, embora inseridos numa transitoriedade histórica própria, reflitam e projetem com ética e responsabilidade a intencionalidade deste trabalho. O Grupo de Pesquisa Educação e Religião da Pontifícia Universidade Católica do Paraná no seu segundo ano de produção científica, apresenta uma coletânea de trabalhos em resposta aos desafios lançados. Educadores, comprometidos com uma prática docente voltada para o pleno desenvolvimento dos educandos, aqui trazem o resultado de algumas de suas pesquisas, práticas e reflexões. Este livro se apresenta enquanto uma obra coletiva num percurso em construção, onde a Educação e Religião entretecidas no cotidiano acadêmico e profissional de seus autores e autoras exigem constates estudos, pesquisas, reflexões, posturas e ações. Com a publicação de seus trabalhos convidam outros pares a participarem na discussão e elaboração de um novo design para o Ensino Religioso a partir da pluralidade de contextos da escola brasileira. Os textos desta coletânea abordam a questão sob diversos ângulos, buscando enfocar diferentes perspectivas em possibilidades teórico-prática no cotidiano da educação brasileira. Fazer a apresentação desta obra é ter o privilégio de além do “risco”, poder vislumbrar também a construção – Capítulo I: Ensino Religioso um histórico processo (Prof. Dr. Sérgio Junqueira)/ Capítulo II: Concepção de Ensino Religioso (Profas. Deusa Rodrigues Fávero – Alecy Luciana da Silva Vesgerau)/ Capítulo III: O projeto pastoral no Colégio Marista Paranaense (Profs. Ademir Carlos Rovani – Carmen Lucia Carnieri – Kleberson M. Rodríguez – Silvio Duda)/ Capítulo IV: Plano Estratégico do Núcleo de Pastoral do Colégio Marista de Maringá – 2001 a 2006 (Profs. Vanderlei Siqueira dos Santos – Vilmor Sarturi – Raphael Goeldner Mattosinho – Wilson Rocha)/ Capítulo V: Internet e Religião (Juliane Martins)/ Capítulo VI: O fenômeno religioso e as culturas (Professor Ms. Luiz Alberto Sousa Alves) – (Texto da contra-capa).



Edições CNBB (www.edicoescnbb.com.br)

CNBB. Ensino Religioso no cenário da Educação brasileira: aspectos históricos e sócio-político-culturais. Brasília: CNBB, 2007 (ISBN 978-85-60263-18-9), 126 pp.


Editora Concórdia (www.editoraconcordia.com.br)


BÜNDCHEN, Célia Marize. O Ensino Religioso: significados de religião em diferentes contextos educativos. Porto Alegre: Concórdia, 2007 (ISBN 978-85-89258-77-7), 109 pp.
O foco deste livro é o significado de religião em diferentes contextos educativos. As pessoas constroem sentidos para religião em meio às suas experiências de vida, às suas experiências de vida, às suas carências, às suas preocupações e às suas esperanças e desejos. Tudo isso é interessante influenciado pelas formas como a cultura contemporânea se apresenta e opera intensamente influenciado pelas formas como a cultura contemporânea se apresenta e opera intensamente centrada na visibilidade, no espetáculo, na comunicação global e instantânea, no espetáculo do consumo. Na primeira parte, a autora trata das perspectivas históricas do Ensino Religioso no Brasil, incluindo aí elementos da legislação que expressam como este ensino foi posicionado ao longo dos séculos. Na segunda parte, ela traz resultados de uma pesquisa de campo, com o objetivo de expor e interpretar as representações que diferentes grupos sociais fazem sobre as formas como a religião atravessa suas vidas – (Texto da contra-capa).



Editora Cortez (www.cortezeditora.com.br)

OLIVEIRA, Lilian Blanck de; JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo; ALVES, Luiz Alberto Sousa; KEIM, Ernesto Jacob. Ensino Religioso no Ensino Fundamental. São Paulo: Cortez, 2007 (ISBN 978-85-249-1321-1), 175 pp.
Este livro foi estruturado para refletir e compreender o ENSINO RELIGIOSO como um dos componentes curriculares, parte integrante do Ensino Fundamental Brasileiro, que contribui na formação de todo cidadão em processo de escolarização.Procura romper com uma tradição educativa de matriz eclesial,que se configura muitas vezes como espaços de proselitismo consolidação cultural e institucional, para apresentar uma proposta de Ensino Religioso em conformidade com a atual lei de Diretrizes e Bases em seu artigo 33 revisado pela Lei n.947.Tece um referencial pedagógico para esta área do conhecimento, cujo objeto é estudo do fenômeno religioso na diversidade cultural religiosa cultural brasileira Ee universal,a partir do cotidiano escolar. A história do Ensino Religioso no Brasil, sua estrutura como área do conhecimento e sua relação trans e interdisciplinar no contexto educativo são alguns dos aspectos que a obra discute e apresenta. Em sua provisoriedade e incompletude históricas objetiva desafiar outros tecelões comprometidos com está área do conhecimento a trazerem à ciranda da vida/ educação tecidos e tessituras, que disponibilizadas permitirão novos olhares e leituras a contribuir para a formação de um mundo e possível. (Texto da contra-capa).



- F -

Editora FTD (www.ftd.com.br)


CRUZ, Therezinha M. L. – ESTAL, Maria Alice M. Del. Religião na escola: um assunto importante. Questionamentos e metodologia do Ensino Religioso. São Paulo, SP: FTD, 1986 (ISBN -), 111 pp.
Há mais de vinte anos trabalhamos com Educação Religiosa. Começamos na paróquia e na escola pública, onde sentíamos necessidade de evangelizar nossos alunos, mesmo sem sermos explicitamente “professores de Religião”. De tudo que vimos, fizemos e ouvimos nesses anos de verdadeira batalha ficou uma certeza muito firme: religião é um assunto que, no fundo, interessa a todo mundo, mas que grande parte rejeita, ou porque lhe foi mal apresentado, ou porque se relacionou com alguma experiência de vida negativa. Este livro é fruto do que tem sido discutido com os companheiros em variados encontros. Destina-se, em primeiro lugar, a essa valente mistura de profissional e apóstolo que é o professor de Religião. Não especificamos séries, porque, da pré-escola à universidade há princípios metodológicos que se devem harmonizar se não quisermos conflitos insolúveis na cabeça dos alunos e desorientação generalizada entre os professores. O que escrevemos se baseia mais em experi6encias com o ensino de 1o grau; porém os problemas levantados não serão estranhos ao educador de qualquer outro nível. Aqui nos dirigimos também aos que são responsáveis pela linha geral do trabalho escolar: diretores, supervisores, coordenadores dos serviços de educação religiosa e outros agentes que têm parte no planejamento. Para que a educação religiosa funcione é preciso uma boa integração de toda essa equipe (Texto da Autora).



CRUZ, Therezinha M. L. da. Prática de educação religiosa. São Paulo, SP: FTD, 1988 (ISBN -) [Coleção Por onde começar?/ 04], 166 pp.
Quem estuda a história da humanidade percebe que a problemática religiosa é importante, mesmo para quem se declara ateu. O próprio nascimento do homem, dentro da cadeia evolutiva, vem marcado pela presença do fenômeno religioso. Porém sabemos que escola e igreja são dois ambientes diferentes, cada um com características próprias. Não se pode pressupor que na escola todos estejam numa caminhada de fé. O menino que procura a igreja encaminha-se voluntária e naturalmente para a vivência comunitária sacramental. Da garotada da escola não podemos esperar isso com a mesma tranqüilidade. Assim, catequese paroquial e ensino religioso escolar não são a mesma coisa. Partindo do pressuposto de que nem todos os alunos estarão já num clima de fé, o que caberia à escola propor como objetivos do Ensino Religioso? A tentativa de resposta a essa e a muitas outras questões encontra-se ao longo das páginas deste livro (Texto da contra-capa).



CRUZ, Therezinha M. L. da. Didática de ensino religioso: nas estradas da vida: um caminho a ser feito. São Paulo, SP: FTD, 1997 (ISBN -) - [Coleção Conteúdo e Metodologia], 119 pp.
É próprio dos seres humanos maravilhar-se com a existência, indagar sobre o que os transcende e partilhar suas dúvidas e respostas para perguntas como “De onde vim?, Para onde vou?, Para que viver?” Essas questões, que estão na base de todas as religiões, são naturalmente as mesmas de que se ocupa o ensino religioso. Nas estradas da vida percorre o caminho da educação para o sagrado, mas lembra o tempo todo que se trata de um caminho a ser feito, pois ensinar e aprender é uma dinâmica que “requer alguma técnica e muitas qualidade humanas” (Texto da contra-capa).



FIGUEIREDO, Anísia de Paulo. A educação da dimensão religiosa no ambiente escolar. São Paulo, SP: FTD, 1993 (ISBN 85-322-1066-X) – [Coleção biblioteca de ensino religioso. Metodologia], 64 pp.
Aqui, tomamos emprestada a prática metodológica de Jesus de Nazaré, o grande mestre de todas as épocas. O caminho que percorre com a mulher da Samaria é o modelo do caminho que o educador faz com o educando, que busca sua razão de ser como pessoa humana num mundo onde necessita obter respostas para os seus questionamentos existenciais mais profundos. A educanda aqui, a samaritana, vive num mundo concreto, marcado pelas condições sociais, econômicas, políticas e culturais. É nesse mundo que sua identidade é ou não reconhecida; a sua razão de existir é ou não encontrada; a qualidade de sua existência é considerada importante ou anulada por outras concepções de valores. Jesus faz o caminho com a mulher da Samaria em meio a grandes obstáculos e inúmeros desafios. De etapa em etapa, consegue ajudar a mulher a formar um novo conceito de si mesma, reconhecendo-se como pessoa digna da sua razão de ser e existir no mundo (Texto da Autora).



LIBÂNIO, J. B. – FILHO, Miguel Martins. A busca do Sagrado. São Paulo, SP: FTD, 1991 (ISBN 85-322-0409-0) – [Coleção biblioteca de ensino religioso], 120 pp.
O ser humano alimenta-se de pão. Condição básica de sua existência física. Mas mais ainda, consome bens simbólicos. À medida que se distancia do animal, se humaniza, o universo simbólico torna-se fundamental para sua existência. Ao lado do pão e da água, minguaria até a exaustão, se lhe fosse negado se alimentar de símbolos. Entre os símbolos, a religião tem ocupado na história da humanidade posição de relevância. Desde as tribos humanas mais simples nas suas estruturas sociais até as sociedades supermodernas, os humanos vêem tecendo redes maravilhosas de símbolos religiosos. Nessa trajetória espiritual, o comportamento humano não tem sido igual. Houve momentos de maior exuberância religiosa. Houve momentos em que o sagrado parecia condenado a desaparecer, para logo surgir com mais vigor. À primeira vista, pensou-se que se tratava de maior ou menor desenvolvimento mental. As civilizações julgadas primitivas viviam mais fortemente do religioso, do sagrado. As mais desenvolvidas culturalmente iam desprendendo-se dessa dimensão (Texto dos Autores).



MARTINS, José Pedro. Depois do Arco Íris: uma proposta ecológica. São Paulo, SP: FTD, 1991 (ISBN 85-322-0408-2) – [Coleção biblioteca de ensino religioso], 102 pp.
A humanidade encontra-se hoje em uma encruzilhada. Os modelos de desenvolvimento experimentados pelas diversas sociedades não se têm mostrado eficientes para a satisfação das complexas necessidades de todos os seres que coabitam o planeta Terra. Há um clima geral de insatisfação no ar, seja nos mocambos do Nordeste brasileiro, nas savanas da África ou nos cada vez maior bolsões de pobreza dos países considerado plenamente desenvolvido. Os capítulos deste livro são uma tentativa de apontar as reais causas da crise mundial e de salientar os esforços que estão sendo feitos para a formulação de um novo modelo de desenvolvimento, fundado em relações igualitárias entre os seres humanos e no equilíbrio ambiental. Um modelo de desenvolvimento que respeite a identidade a identidade cultural e espiritual de todos os povos e particularmente de grupos como os indígenas e os negros, onde haja uma efetiva igualdade entre homens e mulheres. Também é uma tentativa de rastrear os avanços que o cristianismo renovado, alimentado pelos sinais dos tempos, tem alcançado como contribuição à busca de um novo tipo de desenvolvimento (Texto do Autor).



SUNG, Jung Mo. Experiência de Deus: ilusão ou realidade? São Paulo, SP: FTD, 1991 (ISBN 85-322-0407-4) – [Coleção biblioteca de ensino religioso], 103 pp.
Este livro não se destina exclusivamente aos que têm fé em Deus, mas também aos que não têm e buscam o sentido de sua vida. Ficarei muito contente em saber que pelo menos alguns desses jovens encontrarem respostas para suas dúvidas existenciais. Mas, ainda que eu não obtenha nenhum resultado, valeu a pena ter escrito este livro. Valeu só pelo fato de ter escrito e revisto tantas coisas que me ajudaram a melhor me compreender, aos outros e também a Deus. Gostei da experiência. Quem ler o livro até o final perceberá que não utilizei nenhum “argumento de autoridade”, argumento tirado da Bíblia ou de outros livros sagrados, para provar minhas idéias. Quando citei alguns trechos da Bíblia, foi para ilustrar ou para fazer referências, mas não como prova da validade do meu argumento. Isto porque o livro não pretende convencer os que já estão convencidos sobre a fé. Muito pelo contrário, o caminho que escolhi foi falar sobre Deus e da nossa experiência de Deus a partir da nossa vida cotidiano, das nossas dúvidas e incertezas. É uma tentativa de compreender explicitar os mistérios da experiência mística de encontrar Deus.



- I -

Imprensa Oficial


LIMA, Mario. O Bom Combate. Belo Horizonte: Imprensa Official, 1929.
Trata-se de um compilado de subsídios, incluindo a legislação regulamentar do dispositivo constitucional sobre o ensino religioso nas escolas públicas de MG, educação católica, relatos de atividades relacionadas à questão em pauta, pareceres, comentários, discursos pronunciados em congressos católicos sobre o referido assunto, cartas de personalidades interessadas no assunto, como de autoridades religiosas ou em funções políticas, outros documentos para o acervo histórico dos vinte anos de reação ao parágrafo 6º do art. 72 da lª Carta Magna da República, em Minas Gerais. O prefácio da obra é de Dom Joaquim Silvério de Souza, primeiro Arcebispo de Diamantina, então membro da Academia Mineira de Letras e alto expoente político. Como um dos líderes favoráveis ao ensino religioso nas escolas públicas relata a situação do ensino religioso nos principais países do mundo, em comparação com a realidade brasileira na época.



- L -

Editora Loyola (www.loyola.com.br)


LUCAS, Miguel. Educação religiosa. Como ensinar. São Paulo, SP: Loyola, 1997 (ISBN – 85-01540-4), 76 pp.
Em reposta ao como ensinar foi elaborado este livro, em que o autor apresenta uma série de orientações psicopedagógicas de Santo Agostinho para a educação integral dos jovens. “Usando do amor como motivador de seu ensino, explique suas lições de tal forma que quem a ouça possa aceitar o que ouve e, ao aceitá-lo, possa conceber a esperança de possuí-lo e, esperando, ame o ouvido e esperando (Agostinho, A instrução dos Catecúmenos 4,8)” (Texto da contra-capa)



ROSSA, Leandro. O ensino religioso, em sala de aula. Luz nova no chão da escola? São Paulo, SP: Loyola/ AEC do Brasil, 2002 (ISBN 85-15-02467-7) – [Coleção fazer e transformar/ 04], 40 pp.
O Ensino Religioso, não mais entendido como pastoral ou catequese, deixou a muitos professores em dificuldades na definição de seus conteúdos. Na verdade, o mercado disponibiliza, para a pastoral, a catequese e para as demais disciplinas do currículo, abundante material didático, mas muito pouco para o Ensino Religioso, entendido como área de conhecimento. Esta situação, se por um lado, parece embaraçosa, por outro, abre ao professor de Ensino Religioso amplo espaço de liberdade para, com criatividade, tentar outras formas de enfrentar a questão, sem apegar-se aos conteúdos preestabelecidos. Nós apostamos que você se dispõe a isso, mesmo sabendo que os conteúdos “preestabelecidos” poderiam, sobretudo, no início de seu trabalho, trazer-lhe mais segurança, por que temos certeza de que você pretende agir de forma transformadora, mesmo que isso, muitas vezes, talvez, possa trazer-lhes sérios incômodos. O presente subsídio pretende apresentar-lhe uma proposta diferente de trabalho, que parta do projeto político-pedagógico da escola, das experiências e necessidades dos alunos, das comunidades, da especificidade do mesmo Ensino Religioso e não dos conteúdos preestabelecidos (Texto do Autor).



- M -

Editora Madras (www.madras.com.br)


GRAÇA, Marcio. Metodologia & Ensino. Religar e projetar. São Paulo, SP: Madras, 2002 (ISBN 85-7374-548-7), 131 pp.
Este livro apresenta o estudo da inter-relação de Ensino Religioso e Educação Artística e as possibilidades dessa inter-relação, para tornar essas disciplinas mais significativas dentro do currículo escolar. A obra traz análise e entrevistas com professores das áreas, visando o questionamento das reais possibilidades dessa inter-relação e ainda aborda outros temas, como: educação/ ensino da arte/ comunicação social e cultura/ Ensino Religioso e Religiosidade/ semiótica/ interdisciplinaridade. Esta busca é um longo caminho, que requer dos educadores uma nova visão sobre valores como cidadania, respeito, coragem, comprometimento e audácia, na tentativa de romper velhos conceitos e preconceitos e fazer com eu no cotidiano reconsideremos a nós mesmos, na tentativa de rever o outro (Texto da contra-capa).



Tipografia Moderna

LIMA, Mário. A escola leiga e a liberdade de consciência. Belo Horizonte: Tipografia Moderna, 1914.


- O - Editora Oikos (www.madras.com.br)

CAMARGO, César da Silva; CECCHETTI, Elcio; OLIVEIRA, Lilian Blanck (Org.). Terra e Alteridade: pesquisas e práticas pedagógicas em Ensino Religioso. São Leopoldo, RS: OIKOS, 2007 (ISBN 9788589379366), 300 p.
Terra e alteridade são temáticas presentes na esteira das discussões e reflexões da atualidade face à dramática situação ambiental e inúmeras formas de violências, que empobrecem, descaracterizam e causam sofrimento à comunidade planetária. O bem-estar da humanidade e ecossistemas depende do cuidado e da preservação das características vitais da Terra e dos povos que a habitam. A presente obra reúne textos de pesquisadores e educadores que buscam contribuir no desenvolvimento de discussões, reflexões e ações para uma educação pautada na acolhida, respeito, solidariedade, cuidado, valorização e interação com as diferenças em uma perspectiva de alteridade desafiando atitudes e práticas educativas, que priorizem a natureza e todos os seres vivos. Como a escola poderá responder a este chamado? Que ciências, culturas, saberes serão priorizados? Que práticas pedagógicas poderão ser desenvolvidas nesta direção? Que concepções orientarão os currículos? Como e em que medida a área de conhecimento de Ensino Religioso poderá contribuir? O desafio se constituem buscar desenvolver exercícios pedagógicos além territórios, ou seja, transpor limites; desenvolver um outro olhar, perceber o outro e a terra em suas múltiplas possibilidades e conhecimentos; ler o mundo e os sujeitos em uma perspectiva de tessituras culturais, históricas e simbólicas buscando articular um diálogo, que rompa conceitos cristalizados e práticas estigmatizadoras visando participar da construção de um mundo melhor e possível (Texto da contra-capa).



- P -

Edições Paulinas (www.paulinas.org.br)


CATÃO, Francisco. Em busca do sentido da vida: a temática da educação religiosa. São Paulo, SP: Paulinas, 1993 (ISBN -) – [Coleção fé adulta], 174 pp.

Este livro trata da problemática do discurso religioso: Como falar de Deus aos homens e às mulheres de hoje? Tentando responder a este desafio, o autor aborda três temas que considera fundamentais: o homem, Deus e a salvação. O ponto de partida da sua reflexão é sempre o ser humano na sua experiência existência. É através da busca do sentido da vida que a pessoa faz a experiência do Transcendente. Segundo o autor, a religiosidade é a forma histórica que assume a capacidade de abertura ao Transcendente, inscrita na experiência de vida de cada cultura. Há uma religiosidade popular brasileira, européia, oriental... São formas culturais de experimentar e exprimir a presença do Transcendente na vida dos diferentes grupos humanos. A questão que se coloca, para nós, é saber por que caminhos, no dias de hoje, temos acesso à percepção do Transcendente em nossas vidas. A questão fundamental para determinar os caminhos a seguir na educação religiosa.



CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL – CNBB. O ensino religioso nas constituições do Brasil, nas legislações de ensino e nas orientações da Igreja. São Paulo : Paulinas, 1987. (Estudos da CNBB, 49).

Este é um estudo sobre o ensino religioso nas constituições do Brasil, nas legislações e nas orientações da Igreja Católica no Brasil, realizado em 1987 pelo Grupo de Reflexão sobre Ensino Religioso (GRERE).
O livro recupera a memória histórica das lutas jurídicas, pedagógicas e políticas em torno da questão do ensino religioso ao longo da História do Brasil. Situa este ensino como direito fundamental da pessoa humana e para a educação integral. Propõe como prioridade no ensino religioso, a formação de professores e outros agentes de educação que possam influir, cristãmente, a partir de dentro, no mundo da educação. O objetivo desta obra, era ser um manual para pastores, leigos e parlamentares nos debates a favor da educação religiosa na nova Constituição de 1988 e nas legislações conseqüentes.



CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL – CNBB. Educação religiosa nas escolas. São Paulo : Paulinas, 1974. (Estudos da CNBB, 14).

Este livro, contém os resultados da primeira pesquisa realizada no Brasil sobre a situação do ensino religioso nos Estados, quanto a legislação e os programas. Esta pesquisa realizou-se em vista do artigo 7º , parágrafo único, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 5.692/71. A partir desta Lei, o ensino religioso recebeu maior atenção da CNBB. A análise da pesquisa, concluiu que o modo e os limites do ensino religioso nas escolas só podem ser determinados corretamente, a partir do ponto de vista da escola, isto é, partindo da sua natureza, das suas finalidades, do seu modo de ser. Qualquer outro ponto de vista corre o risco de falsear radicalmente o ensino religioso, fazendo dele um problema e torna-lo insolúvel.



LEAL, Alane de Lucena. Educação e cidadania. São Paulo, SP: Paulinas, 2005 (ISBN 85-356-1526-1-) – [Coleção pedagogia e educação], 202 pp.

A obra foi previamente estruturada como dissertação de mestrado em Ciências da Religião, Universidade Católica de Goiás (UCG), 2003, dentro de um rigoroso sistema acadêmico, sendo em seguida retomada com o objetivo de contribuir para esclarecimento e debate em meio aos educadores, especialmente os professores de ensino religioso, de acordo com as normas da disciplina vigente no país. Nascida de uma pesquisa nas Classes de Aceleração, programa emergencial criado no Distrito Federal em 1999, para jovens de 12 a 17 anos que cursam até a 5ª série, com o tríplice objetivo de fortalecer e desenvolver o autoconceito e a auto-estima dos alunos, segundo os quais a pedagogia do sucesso acontece dia-a-dia, ensinar os conceitos básicos nas primeiras séries e desenvolver um conjunto de habilidades básicas importantes para o sucesso na vida e escola, o programa se tornou um verdadeiro laboratório. Evidencia o estado de anomia em que se encontra a juventude e leva a buscar uma educação que cuide de sua reintegração na sociedade. Para tanto, a religião é elemento decisivo, na medida em que introduz um referencial transcendente, fonte de sólido comportamento ético e cidadão.Essa pesquisa organizou-se em dois eixos - religião e educação - como pressupostos básicos para a construção da cidadania, do indivíduo inserido no contexto social e participante do processo de aprendizagem, ou seja, do universo do sujeito, no qual interagem as dimensões de sua autoformação nos planos religioso (despertar e formar-se) e educativo (instruir e informar-se). Situa-se, pois, na intersecção desses dois eixos. A obra divide-se em três partes: a apresentação do dado de fato, os marcos teóricos, a que recorre a três sociólogos de épocas e orientações diversas, Durkheim, Peter Berger e Martin Buber, e, finalmente, alguns aspectos práticos de como se pode desenvolver essa atividade pedagógica.Trata-se de um trabalho original e que se impõe na área da educação religiosa e da cidadania, tão importante nos dias de hoje, dentro do contexto brasileiro.



SENA, Luzia (Org.). Ensino Religioso e formação docente. Ciências da Religião e Ensino Religioso em diálogo. São Paulo, SP: Paulinas, 2006 (ISBN 85-356-1844-9-), 148 pp.

Este livro, fruto de uma feliz iniciativa que reuniu em outubro de 2006, educadores e especialistas no estudo da religião, traz a público as conferências preparadas em vista do IX Seminário de Capacitação Docente para o Ensino Religioso, promovido conjuntamente pelo Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso e a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – Departamento de Teologia e Ciências da Religião. O tema sugerido para o Seminário e para o subtítulo do livro – Ciências da Religião e Ensino Religioso em diálogo – consiste na aproximação  entre a pesquisa acadêmica da religião e transposição didática de seus resultados no Ensino Religioso. Os conferencistas especialistas no Ensino Religioso e no estudo da religião, de diferentes universidades do país, procuraram refletir sobre a identidade das Ciências da Religião e sua relação com o Ensino Religioso em vista de orientar a formação dos professores para essa área do conhecimento. O levantamento das distintas realidades dos cursos de formação docente ao Ensino Religioso no Brasil, apresentados nesta obra, aponta para o desafio de se discutir a identidade pedagógica e a autonomia epistemológica dessa disciplina, bem como a formação docente e a licenciatura que melhor os qualifica, no arco maior das teorias da educação e das Ciências da Religião (Contra capa).


PASSOS, João Décio. Ensino Religioso: construção de uma proposta. São Paulo, SP: Paulinas, 2007 (ISBN 978-85-356-1268-4), 143 pp.

Este livro é o primeiro livro da seção Pressupostos, que trata das questões de fundo, a saber, definições, teorias, paradigmas e sujeitos envolvidos no fenômeno religioso. Descartando os modelos catequético e teológico para o Ensino Religioso, a obra defende o modelo das Ciências da Religião como o único habilitado a sustentar a necessária autonomia dessa área do conhecimento. O Ensino Religioso na rede pública é mais que educação da religiosidade, visa à educação do cidadão, uma vez que a dimensão religiosa está presente no indivíduo e na sociedade (Contra capa).


NASSER, Maria Celina Cabrera. O uso de símbolos. Sugestões para a sala de aula. São Paulo, SP: Paulinas, 2006 (ISBN 85-356-1752-3), 95 pp.

Este livro é o primeiro livro da seção Pressupostos, que trata das questões de fundo, a saber, definições, O símbolo possui vida. A vida do símbolo tem duração: nasce da necessidade de uma expressão maior que as palavras disponíveis, desenvolve-se quando alimentado e morre de “morte matada”, se destruído, ou de “mote morrida”, quando deixa de ser significado e não representa mais o que um dia representou. Ele nasce, portanto, da nossa capacidade de transcender, de ir além, uma vez que temos a espiritualidade como uma de nossas dimensões. Assim, sendo, podemos dizer que as religiões expressam a espiritualidade do ser humano, cada qual da sua forma, sendo uma maneira de manter um diálogo com Deus, ou Transcendente. O objetivo deste livro é oferecer subsídios para o Professor de Ensino Religioso, ou de qualquer outra disciplina afim, possa usar os símbolos como facilitar da aprendizagem (Contra capa).


SANCHEZ, Wagner Lopes. Pluralismo religioso. As religiões no mundo atual. São Paulo, SP: Paulinas, 2005 (ISBN 85-356-1559-8), 141 pp.

Este livro pretende introduzir o tema do pluralismo religioso, em geral, e brasileiro, em particular, e discutir os principais desafios que se colocam hoje às religiões presentes entre nós. Ao olharmos o mundo atual, constatamos um verdadeiro mosaico de religiões. Reconhecer o direito das Religiões de expressarem-se livremente nesse mosaico é o primeiro passo para haver pluralismo religioso. O segundo passo é aceitar que todas as religiões têm legitimidade, porque exprimem as diferentes formas humanas de aproximação do mistério fundante da vida. Cada capítulo possui uma estrutura didática que visa aprofundar e problematizar o tema a partir dos subsídios apresentados. Tudo para que o estudo do pluralismo religioso crie no leitor a admiração pela diversidade religiosa e o desejo de mergulhar no rico universo das religiões (Contra capa).


GUERRIERO, Silas. Novos movimentos religiosos: o quadro brasileiro. São Paulo, SP: Paulinas, 2006 (ISBN 85-356-1757-4), 135 pp.

Este livro define o que são os novos movimentos religiosos e apresenta a imensa variedade existente entre eles. Em seguida, discute o contexto sociocultural que tornou possível essa efervescência de religiosidades, para depois analisar suas características, tanto social como religiosas. Finalmente, volta o foco para a sociedade brasileira e procura enxergar aí os componentes dessas religiões (Contra capa).


PASSOS, João Décio. Pentecostais: origens e começo. São Paulo, SP: Paulinas, 2005 (ISBN 85-356-1558-X), 118 pp.

Quem são e de onde vêm os cristãos pentecostais? Este livro busca compreende-los dentro da dinâmica interna das religiões e do cristianismo em geral, de modo especial no contexto brasileiro. O paradigma pentecostal configurou, em pouco mais de um século, certo modo de ser cristão que soma posturas antimodernas e modernas em um mesmo sistema religioso. Mesmo retomando atitudes mágicas e literalistas, ele também responde à lógica que vê no sujeito moderno o centro da experiência religiosa e o consumidor de bens simbólicos (Contra capa).


PASSOS, João Décio. Como a religião se organiza. Tipos e processo. São Paulo, SP: Paulinas, 2006 (ISBN 85-356-1753-1), 142 pp.

Este estudo expõe a lógica interna das religiões, descrevendo processo de sistematização e organização e apresentando, ao mesmo tempo, tipos e relações religiosas. As análises têm sempre uma direção para o interno dessas organizações, com destaque para as suas relações re reprodução e sua resistência às mudanças sociais do entorno (Contra capa).


VILHENA, Maria Angela. Ritos. Expressões e propriedades. São Paulo, SP: Paulinas, 2005 (ISBN 85-356-1560-8), 159 pp.

Este volume dedica-se ao estudo do rito, uma das mais fascinantes via de acesso para a compressão dos seres humanos em suas culturas. A autora não pretende resumir ou traçar a genealogia das várias correntes teóricas, métodos e resultados da pesquisa especializada sobre o assunto. Seu escopo é fazer um recorte no tempo e no espaço, atendo-se aos ritos praticados hoje no Brasil. Estudar nossos ritos muito revela a respeito da poliforme cultura brasileira da qual somos participes. Conhece-los é compreender a nós mesmos (Contra capa).


JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo; CORRÊA, Rosa Lydia; HOLANDA, Ângela Maria. Ensino Religioso: aspectos legal e curricular. São Paulo: Paulinas, 2007, 117 pp. ISBN 978-85-356-2098-6 [ Coleção Temas do Ensino Religioso].

Conhecer as legislações que orientam o Ensino Religioso em âmbito nacional e dos Estados brasileiros é fundamental para compreender essa disciplina como área do conhecimento, respaldada, leglamente, como parte integrande da formação básica do cidadão. Esta obra apresenta uma retrospectiva histórico-legislativa das ConstituiçÕes e Leis da Educação ao longo do período republicano e um estudo sobre os textos que regulamentaram e normatizam o ER nos vários Estados, a partir do art. 33 da LDBEN 9394/96 alterado pela Lei 9475/97.



RUEDELL, Pedro. Educação Religiosa. Fundamentação antropológico-cultural da religião segundo Paulo Tillich. São Paulo: Paulinas, 2007 (ISBN 978-85-356-2096-2), 191 pp.

Nesta obra, o educador Pedro Ruedell aborda a educação religiosa, enfocando especialmente o Ensino Religioso escolar, redimensionado pela legislação em vigor no Brasil. Apresenta a configuração atual dessa disciplina, descrevendo a sua evolução desde a implantação do regime republicano em nosso país, destaca as mudanças de concepções que a fizeram passar de uma área eclesiástica para a esfera da administração pública e, sobretudo, dá-lhe uma base antropológico-cultural consistente.
O texto, que gira em torno dos temas religião e cultura, procura esclarecer que a fonte da religião, entendida como religiosidade, está no próprio ser humano. Com o objetivo de colaborar na construção de uma fundamentação antropológico-cultural para a religião, recorre-se às categorias de pensar e ao método elaborado por Paul Tillich, conehcido como o pensador das correlações entre religião e cultura, cujas categorais servem de alicerce à educação religiosa.
A paz, o pluralismo religioso, o diálogo entre as múltiplas tradiçÕes religiosas, a base da aética da existência humana, a dimensão ecológica da vida, com suas raízes religiosas, são alguns dos assuntos tratados, em termos pedagógicos, visando à educação integral e integradora das pessoas (Texto da contra-capa)



Editora Paulus (www.paulus.org.br)

FERNANDES, Maria Madalena S. Afinal, o que é o ensino religioso? Sua identidade própria em contraste com a catequese. São Paulo, SP: Paulus, 2000 (ISBN 85-349 -1500-8), 78 pp.
As reflexões teóricas contidas neste livro questionam as práticas que não condizem com o Ensino Religioso. Este não tem nenhum objetivo de impor crenças ou doutrinas ao homem, mas reconhecendo a amplitude das dimensões do ser humano, colaborar para que ele desenvolva a área religiosa de sua vida numa abertura para o transcendental. Afinal, o que é o Ensino Religioso? – Sua identidade própria em contrate com a catequese consiste em um registro de reflexões a partir de leituras e práticas pedagógicas, do qual se espera que sirva de apoio para os profissionais de Ensino Religioso Escolar e para todos os que buscam maior aprofundamento acerca da dimensão religiosa e transcendental do ser humano (Texto da contra-capa).



SILVA, Valmor da (Org.). Ensino Religioso, educação centrada na vida. Subsídio para formação de professores. São Paulo, SP: Paulus, 2004.
Trata-se da publicação dos debates realizados pelo Conselho Interconfessional do Ensino Religioso (CIERGO), com professores da área, no Estado de Goiás, em vista da compreensão para aplicação da Lei 9475 de 22 de julho de 1997 que alterou o artigo da Lei nº 9394/96.



Editora PUCRS (EDIPUCRS)

MUNDO JOVEM (Org.). Ensino Religioso e Cidadania: textos e dinâmicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004 (ISBN 85-7430-452-2), 136 pp.
O objetivo do Mundo Jovem foi reunir em um livro (subsídios) prático, uma série de textos, reflexões e dinâmicas que estão espalhadas e, nem sempre, de fácil acesso a educadores do Ensino Religioso e das áreas humanas. Procuramos unir a profundidade das reflexões com a praticidade das dinâmicas, para que os textos sejam possíveis de serem trabalhados com os adolescentes e jovens. O livro é fruto, sobretudo, da variedade de autores e temas publicados no jornal Mundo Jovem. Também é fruto da caminhada dos jovens, na Pastoral da Juventude, onde o trabalho com dinâmicas traz bons resultados (Texto retirado da primeira orelha do livro).



Prefeituras

GUILOUSKI,B.; COSTA,D.;SCHLOGL,E.. Caderno Pedagógico do Ensino Religioso. Curitiba::Prefeitura Municipal de Curitiba (ISBN), 101 pp.

Ensino Religioso estuda as diferentes manifestações religiosas, enfatizando a dimensão do sagrado; contribui para a formação da cidadania e a compreensão da diversidade cultural religiosa. Nessa perspectiva, essa área do conhecimento favorece a vivência em meio à diversidade e o exercício do diálogo (Texto da capa).


- S -

Editora Schmidt


FRANCA, Leonel S.J. Ensino Religioso e Ensino Leigo : aspectos pedagógicos, sociais e jurídicos. Rio de Janeiro, RJ: Schmidt, 1931.


Editora Sinodal (www.editorasinodal.com.br)

CARON, Lurdes. Entre conquistas e concessões: uma experiência ecumênica em educação religiosa escolar. São Leopoldo: Sinodal, 1997 (ISBN 85-233-0459-2) – [Série Teses e Dissertações/ 09], 176 pp.
A Educação Religiosa Escolar (ERE), em Santa Catarina, compreende programas e conteúdos para atender a formação de educandos/as desde a pré-escola até o 2º grau. Através dela foi possível criar o Conselho de Igrejas para Educação Religiosa (CIER), que, em trabalho articulado com a Secretaria de Estado da Educação, tem empreendido uma série de ações para a formação e atualização de professores/as de ERE. A prática da ERE, a partir de 1970, propiciou uma maior vivência ecumênica entre igrejas, professores/as e educandos/as nesse Estado. Como mostra esta dissertação, a história da ERE e a do CIER estão estreitamente ligadas. Como parte integrante da oferta curricular em Santa Catarina, a ERE de caráter ecumênico está marcada pela presença de desafios, conquistas e concessões. As experiências a ela ligadas podem servir de subsídio a pessoas e instituições envolvidas com o Ensino Religioso em qualquer parte do Brasil. Daí a relevância da descrição e avaliação oferecida pela autora, mediante um enfoque equilibrado, como fruto de sua rigorosa e abrangente pesquisa (Texto da contra-capa).



STRECK, Danilo R. (org.). Educação e igreja no Brasil. Um ensaio no Brasil. São Leopoldo: Sinodal, 1995 (ISBN -), 92 pp.
Este livro recolhe os resultados do projeto de pesquisa “Igrejas brasileiras e ministério educacional”, desenvolvido por um grupo de educadores e teólogos num período de dois anos. Representantes de seis igrejas participaram integralmente desse processo de caráter ecumênico. Diversos pesquisadores se envolveram na investigação histórica de caráter bibliográfico de cada igreja participante. Vários grupos de diferentes contextos em cada igreja participaram das entrevistas na pesquisa de campo. Assim, reuniu-se uma amostragem significativa e bem diversificada. Tudo isso representou um verdadeiro mutirão de pesquisa e de reflexão visando conhecer e compreender a educação em nossas igrejas: sua história, suas motivações teológicas, seu lugar, suas ênfases, seus agentes, sua estrutura, sua dinâmica e suas possibilidades. Por isso, esta obra constitui um subsídio valioso para todas as pessoas engajadas ou interessadas no ministério educacional da igreja (Texto da contra-capa).



FIGUEIREDO, Anísia de Paulo. Ensino Religioso em chave de reflexão antropológica. In O Ensino Religioso e o Pastorado Escolar: Novas Perpectivas – Princípios Includentes. São Leopoldo: Sinodal, 2001, pp.15 – 17s.
Esta publicação reúne os artigos resultantes das palestras apresentadas pelos Professores convidados para as reflexões sobre diferentes temas pertinentes ao Ensino Religioso, concomitantemente aos temas sobre o Pastorado Escolar, durante o 1º Simpósio para tratar de ambas as questões, realizado nos dias 29 de junho a 1º de julho de 2000, nas dependências da Escola Superior de Teologia, sob a coordenação de Henry Luiz Fuchs, Ms. Manfredo Carlos Wachs, Dr. Oneide Bobsin e Ms. Remi Klein. O Simpósio foi uma oportunidade oferecida pelo Instituto Ecumênico de Pós-Graduação em Teologia de São Leopoldo – RS de estudantes do mesmo Instituto socializarem as suas pesquisa realizadas nos campos do Ensino Religioso e do Pastorado Escolar, contando com a contribuição de Professores das respectivas partes temáticas, com reflexões de aprofundamento de temas pertinentes, sobretudo da Educação em geral, com prioridade no Ensino Religioso, tendo em vista a formação continuada de profissionais que atuam nestas áreas de conhecimento e de atividade religiosa específica. Este livro está organizado em quatro partes: a primeira parte consiste nas palestras de professores dos cursos apresentados em forma de painel. Inicia com a reflexão da Profª Ms. Anísia de Paulo Figueiredo, residente em Minas Gerais, sobre o tema Ensino Religioso e a dimensão antropológica. A mesma professora destaca o caráter peculiar da questão antropológica na configuração da disciplina e a sua condição como elemento intrínseco da formação integral e básica do ser humano.



BRANDENBURG, L.. A integração pedagógica no Ensino Religioso. São Leopoldo: Sinodal, 2004 (ISBN - 85-2330770-2), 224 pp. O tema deste estudo é a interação pedagógica no Ensino Religioso na perspectiva da participação. Seu foco ocupa-se com a escola pública estadual. Muito mais do que mostrar quão pouco existe de participação na sociedade como um todo e na sala de aula do Ensino Religioso especificamente, o trabalho se propõe a buscar, implementar e ampliar as possibilidades de participação existentes na interação pedagógicas dessa disciplina escolar. Depois de situar a escola, enquanto instituição social e pública, como contexto da pesquisa (Cap. 01), de abordar o desafio de uma educação centrada na pessoa e de uma valorização de sua espiritualidade (Cap. 02), a autora focaliza a realidade da sala de aula do Ensino Religioso (Cap. 030). A partir do enfoque teórico colocado como moldura e da dinâmica da realidade de sala de aula, expõe especificamente uma proposta de interação pedagógica para a disciplina de Ensino Religioso na escola pública estadual na perspectiva da participação (Cap. 04) (Texto da contra-capa).


PONIK, E.; WITT, M.; SILVA, M. (org.). Ensino Religioso no contexto escolar. Fórum Nacional Luterano de Ensino Religioso. São Leopoldo: Sinodal, 2005 (ISBN - 85-2330777-X), 78 pp.
A IECLB ocupa um espaço importante e respeitado como parceira de diálogo com outras denominações religiosas na questão do Ensino Religioso. Cabe assumirmos essa missão com responsabilidade, fé e amor, contribuindo, por meio de nossa postura ecumênica, na construção de um Ensino Religioso comprometido com o respeito e a valorização das diferenças étnicas, culturais e religiosas no ambiente escolar. Testemunhar o evangelho de Jesus Cristo nesse contexto é promover o diálogo, educando para a convivência fraterna e a construção coletiva da paz (Texto da contra-capa).



SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ITAJAÍ. Caderno Metodológico de Ensino Religioso. Itajaí: Secretaria Municipal de Educação, 2003 (ISBN -), 130 pp.
Esta publicação do Departamento de Ensino Fundamental do Município de Itajaí (SC) envolveu pesquisadores e professores para definir a identidade e o corpo teórico do Ensino Religioso dentro da proposta local de educação, articulado em cinco capítulos: O Ensino Religioso como agente inter e transdisciplinar [1] ; Por que o Ensino Religioso no lugar das aulas de religião ? [2]; A história do Ensino Religioso no Brasil [3]; O Ensino Religioso no Projeto Político Pedagógico das Escolas [4]; Metodologia sugerida para o Ensino Religioso [5]; Considerações e Referências. Entre os Organizadores encontram-se: Ernesto Jacob Keim; Liliam Blanck de Oliveira; Raul Wagner e Eliane Albanaes. Como Co-autores: Albertino João de Souza Inácio; Emildo de Brito Júnior; Enóe Florêncio Mello; Fabiane de Souza Pereira; Jussara Mara Duarte; Luciano de Souza; Napoleão Souza; Rosângela da Silva do Nascimento; Rosangela Janete Couto e Volnei Berckenbrock Júnior.



PONIK, E.; WITT, M.; SILVA, M. (org.). Ensino Religioso no contexto escolar. Fórum Nacional Luterano de Ensino Religioso. São Leopoldo: Sinodal, 2005 (ISBN - 85-2330777-X), 78 pp.
A IECLB ocupa um espaço importante e respeitado como parceira de diálogo com outras denominações religiosas na questão do Ensino Religioso. Cabe assumirmos essa missão com responsabilidade, fé e amor, contribuindo, por meio de nossa postura ecumênica, na construção de um Ensino Religioso comprometido com o respeito e a valorização das diferenças étnicas, culturais e religiosas no ambiente escolar. Testemunhar o evangelho de Jesus Cristo nesse contexto é promover o diálogo, educando para a convivência fraterna e a construção coletiva da paz (Texto da contra-capa).



BRANDEBURG, L.;FUCHS,H.;KLEIN,R.;WACHS,M. (Org.).Ensino Religioso na escola: bases, experiências e desafios. São Leopoldo: EST/OIKOS, 2005 (ISBN – 8589732-33-9), 222 pp.
Os anos de vigência da Lei do Ensino Religioso nos permitem construir bases importantes para o Ensino Religioso no Brasil. Também já possuímos boa experiência nessa área de conhecimento. Mas, ainda temos muitos desafios a enfrentar para que o Ensino Religioso alcance e continue a ter um espaço existencial reconhecido em termos acadêmicos, na organização escolar e na sala de aula. Ensino Religioso na Escola – bases, experiências e desafios querem contribuir para o aprofundamento do diálogo em torno do assunto. Este diálogo é feito de forma retrospectiva, circunspectiva e perspectiva. É preciso olhar para o passado para lembrar e dele aprender, olhar para o presente e verificar o que se realiza e se reflete em relação ao Ensino Religioso e olhar para o futuro com o objetivo de se pontuar as necessidades para a ação. Este livro apresenta temáticas que questionam o passado, refletem sobre a situação multifacetada da abordagem atual do Ensino Religioso e vislumbram inúmeros desafios para o futuro dessa área de conhecimento na escola brasileira (Texto da contra-capa).



WACHS, M.; FUCHS,L.;BRANDEBURG, L.;KLEIN,R.. (Org.). Práxis do Ensino Religioso na escolar. São Leopoldo: EST/ Sinodal, 2007 (ISBN – 97885233-0856-8), 271 pp.

A primeira fase da produção científica, após a aprovação da nova LDB – Lei 9394/96, tinha um forte caráter antropológico, pois procurava defender e marcar a posição do Ensino Religioso na esfera do sistema de ensino e no meio acadêmico. A atual fase tem um caráter de forte produção teórica, possibilitando a formação e a capacitação contínua de educadores e educadoras dentro dos novos paradigmas orientadores do Ensino Religioso. A concepção desse simpósio está pautada sob o referencial de olhar e compreender a prática, sistematizar a análise do processo de ensino e aprendizagem, socializar a produção acadêmica e proporcionar uma reflexão sobre prática de docentes. Temos como pressuposto da organização do Simpósio e também dos Anais a indissociabildiade entre teoria e prática. Compreendemos que a práxis é este diálogo fecundo e prospectivo que resgata a memória de uma prática visando à significação de sua ação presente e proporcionando uma nova ação futura (Texto da contra-capa).


Editora Sulina

RUEDELL, P.. Trajetória do Ensino Religioso no Brasil e no Rio Grande do Sul: legislação e prática. Porto Alegre: Sulina e Unilassale, 2005 (ISBN - 85-205-0408-6), 208 pp. A partir desta visão de um ensino religioso com base antropológica, expressões culturais carregadas de religiosidade, com elementos psíquicos a serem levados em conta, com textos sagrados a conhecer posturas éticas a desenvolver. O autor procurou evidenciar neste trabalho de pesquisa e estudo a visão de um ensino religioso. No entanto, ao mesmo tempo, foi fundamental ater-se a uma necessária objetividade para fazer emergi dentro do filão histórico as características que o ensino religioso foi assumido ao logo de 230 anos (Texto da contra-capa).


- V -

Editora Vicentina

LONGHI, Miguel.  Ethos no Ensino Religioso. Curitiba, PR: Vicentina, 2005 (ISBN - 85-905905-1-8), 98 p. O lócus dessas reflexões se articula na área de educação, de forma particular nos tempos/ espaços do componente curricular de Ensino Religioso na abrangência de um de seus eixos temáticos, o ethos, referendado nos Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso.
A pesquisaa teórica reúne um valioso conjunto de referênciais com as discussões e encaminhamentos epistemológicos para a formação de docentes para essa área do conhecimento.




Editora Vozes (www.vozes.com.br)


Coleção Ensino Religioso Escolar – Série Fundamentos

FIGUEIREDO, Anísia de Paulo. Ensino Religioso: perspectivas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 1994 (ISBN 85-326-1331-4) - [Coleção Ensino Religioso Escolar. Série Fundamentos/ 01], 126 pp.
Em toda e qualquer reflexão sobre a pessoa humana, como sujeito da educação, não podemos perder de vista a sua dimensão religiosa, ou seja, as predisposições do ser para a experiência religiosa individual, que nasce do eu mais profundo. A escola, como instituição educacional, não pode prescindir do seu papel de proporcionar a cada ser humano os meios propícios ao desenvolvimento harmônico de todas as suas potencialidades, em ordem à sua plena realização como pessoa, dotada de qualidades que emanam de sua natureza. Há de considerar, em sua ação pedagógica, a evolução diferencial do Eu, o desenvolvimento e fortalecimento relacional do Nós, em vista da personalização desse Eu e humanização do Nós, a construir a sociedade (Texto da contra-capa).



FIGUEIREDO, Anísia de Paulo. Ensino Religioso no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1995 (ISBN 85-326-1610-0) - [Coleção ensino religioso escolar. Série fundamentos/ 02], 150 pp.
Este livro pretende deixar o leitor a par da problemática do Ensino Religioso no Brasil, suas causas e conseqüências, seus desafios e conquistas, na busca de sua definição como elemento integrante do sistema educacional brasileiro. A autora mostra a caminhada do Ensino Religioso no Brasil ao longo de todo este século (Texto da contra-capa).



VIESSER, Lizete Carmem. Um paradigma didático para o Ensino Religioso. Vozes, 1994 (ISBN 85-326-1323-3) - [Coleção ensino religioso escolar. Série fundamentos/ 03], 69 pp.
Perante a concepção mecanicista e fragmentária de uma didática que também para o Ensino Religioso estabelece componentes, aparentemente estanques mas conseqüentes, a nova didática no e do Ensino Religioso fundamenta-se em princípios. E, para efetivar essa possibilidade, a didática também nesse Ensino necessita de uma nova organização a partir de sua própria prática. Ou seja, a passagem de um paradigma didático para um novo paradigma é processo gradual que se planeja (Texto da contra-capa).



JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. O desenvolvimento da experiência religiosa. Petrópolis: Vozes, 1995 (ISBN 85-326-1340-3) - [Coleção ensino religioso escolar. Série fundamentos/ 04], 105 pp.
A pessoa humana percebe o Transcendente pela razão e pela experiência. É algo individual, único, intransferível, incomunicável. E sendo Deus inexplicável e indefinível, o ser humano acaba personalizando essa experiência de Deus, projetando-o conforme suas necessidades. Desta forma é que todos os povos, no decorrer da história, conceituaram sobre o Transcendente e transmitiram sua idéia, organizando seus ritos, cultos e expressões religiosas (Texto da contra-capa).



GRUEN, Wolfgang. O Ensino Religioso na escola. Petrópolis: Vozes, 1995 (ISBN 85-326-1334-9) - [Coleção ensino religioso escolar. Série fundamentos/ 05], 162 pp.
O objetivo do Ensino Religioso é: proporcionar ao aluno experiências, informações e reflexões ligadas à dimensão religiosa da vida, que ajudem a cultivar uma atitude dinâmica de abertura ao sentido radical de sua existência em comunidade, e a preparar-se assim para uma opção responsável do seu projeto de vida. Ou, em outras palavras: é ajudar o aluno a formular em profundidade o questionamento religioso e a dar a sua resposta devidamente informada, responsável e engajada (Texto da contra-capa).



CARON, Lurdes (org.) e Equipe do GRERE. O Ensino Religioso na nova LDB. Histórico, exigências, documentário. Petrópolis: Vozes, 1997 (ISBN 85-326-1931-2) – [Coleção ensino religioso escolar – Série fundamentos/ 06], 85 pp.
A vasta documentação aqui apresentada sobre o caminho percorrido da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) é um valioso auxílio para o grande público, nesta fase de implantação da referida lei, principalmente no que se refere aos sistemas de ensino e entidade civil, nos termos da legislação vigente. Beneficiados serão, todos os envolvidos diretamente com o Ensino Religioso nas escolas públicas (Texto da contra-capa).



FILHO, Tarcizo Gonçalves. Ensino Religioso e formação do ser político. Uma proposta para a consciência de cidadania. Petrópolis: Vozes, 1998 (ISBN 85-326-2052-3) – [Coleção ensino religioso escolar. Série fundamentos/ 07], 125 pp.
Ao Ensino Religioso também cabe formar estudantes para a prática política, demonstrando-lhes que o ser político não se reduz à dimensão do voto ou à vocação de alguns. Ser político é sinônimo de ser humano, envolvendo suas dimensões pelo encontro com as pessoas. Ser político é como ser religioso, ser vivo, ser feliz; dimensões das quais o homem não é capaz de escapar, salvo pela morte. Quando o homem aceita essa sua essencialidade, torna-se capaz de agir na história, modificando-a e modificando-se (= trabalho) na construção de um mundo melhor (Texto da contra-capa).



Coleção Subsídios Pedagógicos

FIGUEIREDO, Anísia de Paulo. O tema gerador no currículo de Educação Religiosa. O senso do simbólico. Petrópolis: Vozes, 2000 (ISBN 85-326-2388-3) - [Coleção Subsídios pedagógicos/ 01], 85 pp.
Nesta obra a autora nos apresenta um estudo dos elementos simbólicos que têm a ver com o sentimento religioso brasileiro, manifestado de muitas formas e mesclado por vários elementos cultuais. O estudo aborda a Carta de Pero Vaz de Caminha como tema gerador para uma proposta de educação religiosa que, possibilitando o conhecimento das razões de ser dos símbolos, mitos e dos ritos nas mais diversificadas tradições ou concepções religiosas, contribui na tarefa dos educadores com educandos de qualquer condição religiosa ou filosófica (Texto da contra-capa).



VELOSO, Dom Eurico dos Santos. Fundamentos filosóficos dos valores no ensino religioso. Petrópolis: Vozes, 2001 (ISBN 85-326-2520-7) - [Coleção Subsídios pedagógicos/ 02], 92 pp.
O estudo proposto neste livro retrata os aspectos filosóficos dos valores em sintonia com as urgências do processo educacional atual. A obra é uma valiosa contribuição para a educação em seus diversos níveis e situações. Através dela, o autor apresenta um alerta e um apelo sobre a concepção e vivência dos valores, visando despertar para a formação da consciência de cidadania, onde a solidariedade constitua a tônica das relações humanas (Texto da contra-capa).



FERREIRA, Amauri Carlos. Ensino Religioso nas fronteiras da ética. Petrópolis: Vozes, 2001 (ISBN 85-326-2520-7) - [Coleção Subsídios pedagógicos/ 03], 63 pp.
O texto instiga o leitor a refletir sobre a condição humana de se pertencer ao mundo. Estabelece uma rede de diálogos que fundamentação ética a partir da identidade. Recupera e dá novos tratamentos a essas questões com vigor e perspicácia. Sua sensibilidade interroga a presença do outro, chave que permite entender que somos iguais como espécie humana mas deferentes enquanto singularidades. O autor, ao discutir a responsabilidade da escola na formação do educando, evidencia a necessidade da internalização de princípios básicos como justiça, não violência, solidariedade e responsabilidade, para que haja o aprendizado dos costumes, da diferença e da convivência. A importância deste estudo, que se reúne aos demais volumes da Coleção Subsídios Pedagógicos, é apresentar, como eixo filosófico, a possibilidade do sujeito refletir sobre a sua condição de ser no mundo, sua relação com ele mesmo e com o outro (Texto da contra-capa).



JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo; MENEGHETTI, Rosa Gitana Krob; WASCHOWICZ, Lilian Anna. Ensino Religioso e sua relação pedagógica. Petrópolis: Vozes, 2002 (ISBN 85-326-2752-8) - [Coleção Subsídios pedagógicos/ 04], 77 pp.
O texto desta coletânea, apresentado aos leitores, é um convite à reflexão sobre três aspectos fundamentais que dizem respeito ao Ensino Religioso. O primeiro, um estudo do Professor Sérgio Junqueira sobre a situação do Ensino Religioso na condição de componente curricular, considerando-se a organização do currículo da Escola Fundamental, no qual o autor estuda alguns conceitos como ensino, aprendizagem, componente curricular, situando o ER neste contexto; o segundo, assinado pela Professora Rosa Gitana Krob Meneghetti, reflete sobre a importância da construção do Projeto Pedagógico pelas unidades escolares, enfatizando seu caráter democrático e participativo e apontando a fundamental contribuição do ER para este trabalho, especialmente pelas suas características intrínsecas de aceitação das diferenças. Já o terceiro estudo, de autoria da Professora Lilian Anna Waschowicz, trata da avaliação da aprendizagem no ER, tema polêmico e urgente. A autora o aborda sob a perspectiva da teoria-prática, pois em seu texto não só discute o tema de forma conceitual, mas o alcança na perspectiva da percepção da realidade, o que, segundo ela, é a “operação mental mais presente na avaliação do professor e na aprendizagem dos alunos”. A Editora Vozes, oferecendo esta obra a seus leitores, o faz com a intenção de contribuir para o espaço de discussão deste tema, especialmente ampliando o número de fios com os quais se pode tecer a rede para compreensão desta nova Área de conhecimento: o Ensino Religioso (Texto da contra-capa).



Outros livros sobre ensino religioso, publicados pela Editora Vozes

NERY, Israel. Catequese na escola católica. Uma experiência. Petrópolis: Vozes, 1974 (ISBN -), 76 pp.
Trata este livro de uma experiência concreta em curso no Instituo ABEL, desde 1968: o Serviço de Educação Religiosa (SER), responsável primeiro pela Pastoral da Educação. Reflexões em torno da situação escolar, organização do serviço, esquemas de planejamento, indicações de conteúdo e meios, organogramas são recolhidos pelo autor e colocados à disposição do leitor. Não se trata de tese, teoria, ou previsão. A questão aqui se limita ao que “se fez e se está fazendo” e por isso mesmo tem as limitações do pragmático, do condicionamento experimental e, no referente ao livro, de ser uma coletânea de boletins, artigos e esquema de planejamento, de épocas e estilos bem diferentes. Entretanto, a grande riqueza está no fato de se tratar de uma experiência, de algo que se vive concretamente (Texto do Prefácio).



CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. REGIONAL SUL III. Texto referencial para o Ensino Religioso Escolar. Petrópolis: Vozes, 1996 (ISBN 85-326-1694-1), 179 pp.
O Ensino Religioso, oferecendo o sentido transcendente da vida e da história, coloca os fundamentos básicos para que as pessoas se sintam motivadas e convictas sobre a validade de se vivem em comunhão e construir juntos um mundo onde todos possam ser felizes na certeza de que a imortalidade é algo mais do que simples expansão cósmica do Ego. Os educandos, crianças, pré-adolescentes e jovens, nascidos na cultura pós-moderna, têm sede de compreender e viver o sentido da vida e da participação na história. Cabe à escola, como lugar privilegiado, proporcionar-lhes esta experiência, integrando no conhecimento e na ação os aspectos pluralistas do sagrado e da religiosidade, que surgem na sociedade hoje, reinterpretando-os e recriando-os, a serviço de uma educação que dê o verdadeiro sentido e a verdadeira alegria de viver a esta geração (Texto da contra-capa).



JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. O processo de escolarização do Ensino Religioso no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2002 (ISBN 85-326-2237-2), 159 pp.
Por que e como ocorre o processo de escolarização do Ensino Religioso no Brasil? Desde o início, o Ensino Religioso foi nomeado como disciplina escolar, mesmo que nem sempre tenha sido tratado como tal. Basta recordar as variações ocorridas no seu processo de evolução: no começo como simples manutenção de uma doutrina, ou seja, como catecismo confessional; mais tarde, a partir da evolução metodológica, devido à influência do movimento catequético europeu, como modelo ecumênico, através do diálogo entre as confissões cristãs. A partir de julho de 1997 (Lei n. 9.745), o Ensino Religioso foi considerado parte integrante da formação básica do cidadão, assumido pelo Sistema Educacional no campo da organização dos conteúdos do componente curricular (Texto da contra-capa).



OLENIKI, Marilac Loraine R.; DALDEGAN, Viviane Mayer. Encantar: uma prática pedagógica do Ensino Religioso. Petrópolis: Vozes, 2003 (ISBN 85-326-2873-7) 88 pp.
O ensino religioso é visto, nesta obra, como área de conhecimento. Saindo de uma linha de mão única deixa de ser apenas um elemento evangelizador e passa a mostrar que o professor dessa área, no exercício de sua prática pedagógica, precisa se sociabilizar envolvendo o educando a interagir com o conhecimento religioso para que possa ver com transparência as diferenças e a partir desta construir novos significados. Mostra que a ação do professor na prática pedagógica precisa ir além da área em que atua despertando nos educandos a curiosidade para que, por meio dela, sintam-se desafiados a buscar o novo saber, a tecer comparações, a investigar, a redescobrir. Essa formação se faz a partir do existir, do saber de si (da sua tradição religiosa) e estende-se para o saber do outro, por meio do conhecimento de diversas manifestações religiosas. Através dessa abertura realizar as mudanças que são necessárias por parte dos professores e instituições educacionais em ocupar um novo papel para que possa desenvolver-se e mostrar para a sociedade o valor do Ensino Religioso como área que contribui expressivamente para a construção da paz, efetivação e sensibilidade aos direitos de cada cidadão (Texto da Editora).



SolBatt agradece sua visita!